Antes de se tornar um dos maiores nomes do automobilismo nacional, com 12 títulos na Stock Car, Ingo Hoffmann foi piloto da Copersucar na Fórmula 1. Mas a passagem pela equipe brasileira dos irmãos Fittipaldi foi em uma época bastante conturbada. Não por conta dos resultados, já que o time chegou a estar à frente de Ferrari, McLaren e Renault em algumas temporadas. E sim por conta da falta de preparo da imprensa local, que não entendia a dimensão das conquistas da equipe na F1.

Nesta live no Instagram @formulagrun, o piloto – que se afastou das pistas em 2009 aos 55 anos – conta como essa relação conturbada com os jornalistas não especializados comprometeu o futuro do time criado por Wilsinho e Emerson Fittipaldi. #HighLives

0:00 – Abertura

0:18 – Imprensa não entendia de automobilismo e F1

1:50 – Chegada de Emerson Fittipaldi trouxe mais pressão

3:01 – Mudanças da F1 prejudicaram desenvolvimento

3:36 – Assista a outros conteúdos do Fórmula Grün!

 

Alexander Grünwald veste:

RACING DRIVER – https://www.racingdriverbrasil.com.br

TS SPORTS – https://www.tssports.com.br/

 

O Fórmula Grün também está aqui:

Twitter: http://bit.ly/FGrunTwitter

Instagram: http://bit.ly/FGrunInstagram

Facebook: http://bit.ly/FGrunFacebook

 

A foto que ilustra o cenário é de Keith Sutton / Sutton Images.

Artigo anteriorMundo Afora Entrevista | Felipe Drugovich, a hora da verdade na F2
Próximo artigoCÂMERA ONBOARD #18 | Emerson Fittipaldi de Maverick no antigo Interlagos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui